A rotina é importante em nossas vidas, pois ela nos ajuda a cumprir metas, prazos, compromissos, além de trazer um pouco de linearidade em meio à imprevisibilidade da vida. No entanto, quando a rotina cansa, sufoca e aborrece, é hora de refletir sobre o que a gente vem fazendo com os dias que se tem.

É impossível viver sem planejar, sem horário definido, sem agendamento algum, uma vez que temos responsabilidades nossas e aquelas que envolvem outras pessoas. Amadurecer requer conscientizar-se de que nem todos os desejos poderão ser atendidos, ou seja, é preciso pensar além do próprio umbigo e além de si mesmo. Haverá momentos em que o outro estará em primeiro plano, sim, pois será o momento dele. Nem todo momento será nosso.

Mesmo assim, não poderemos nos perder de vista nesse percurso, ou viveremos tão somente à sombra dos outros, reféns de uma vida que não é nossa, que não queremos, que não nos traz prazer ou contentamento. E, quando estivermos cheios de dúvidas quanto a tudo o que faz parte de nossos dias, teremos que nos lançar a novos projetos de vida. Ficar parado na infelicidade é morte em vida e morrer em vida ninguém merece. Você muito menos.

Às vezes, será preciso conhecer o novo: novos lugares, pessoas, novos horizontes, novas comidas, novos trabalhos, novas ruas, bares, esquinas, novos grupos, estilos, novos jardins. Prove uma fruta exótica, um coquetel colorido, uma roupa diferente. Ouça um cantor esquecido, um pássaro no parque, um áudio desconhecido. Caminhe por espaços mais amplos, por avenidas aceleradas, por bosques de eucalipto. Viaje, de carona, de Kombi, de mochila, sem destino, em excursão, e pode ir sozinho, sim.

Não podemos parar no tempo e no espaço, pois a vida é movimento lá fora e também tem que se movimentar dentro de nós. Faz bem para a saúde e para a alma provar, experenciar, experimentar o novo, que sempre vem, a cada amanhecer. Há sempre novidades também dentro da gente, sensações e sentimentos a serem explorados, vividos e revividos. É assim que a vida corre, é assim que a gente revive, é assim que a gente renasce.

*O título deste artigo baseia-se em citação de “entreparabrisa”

Imagem: Raphael Rychetsky

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS